Foto-Ashley-Olsen-revista-Marie-Claire

Ashley Olsen está na capa da Marie Claire de setembro. A loirinha fala sobre moda na publicação: “Eu acho que ou você nasce com senso de estilo ou não. Se importa com isso ou não”. A atriz, que também é designer, diz que tanto ela quanto a irmã gêmea, Mary-Kate nunca pensaram em lançar tendências e que, na verdade, o que importa é o que você está com vontade de vestir naquele dia e pronto.

Visto na EGO

Tags: , , , , , , , , , , ,

Comments ( 0 )

Fotos-Rosa-Cha-Alexandre-Herchcovitch-colecao

Em maio deste ano o mundo da moda recebeu uma notícia importante: o estilista Amir Slama se desligou da Rosa Chá, grife que fundou em 1993, meses depois de vendê-la completamente ao grupo Marisol, que já possuía 75% da marca desde 2006. No seu lugar, e por indicação pessoal, entrou Alexandre Herchcovitch – não só por seu talento e criatividade, mas também por seu prestígio internacional. Afinal, nos últimos anos a grife investiu pesado no mercado externo, onde conseguiu um bom posicionamento no segmento de moda praia.

Agora, em nova fase, a Rosa Chá pretende expandir seus horizontes, intensificar sua atuação no mercado interno e ir muito além do beachwear. Segundo Ronaldo Mattos, diretor executivo da unidade de luxo da Marisol, “a Rosa Chá passou 3 anos com uma forte atuação no exterior, participando da semana de moda de NY, esperando que com isso houvesse uma certa reverberação no mercado nacional”. Contudo, como ele mesmo explica, “no negócio, nas lojas, a gente viu que isso não é tão forte assim”. Justamente por isso neste novo período a grife dá início a um “direcionamento um pouco mais forte para o mercado nacional em termos de comunicação”. O que isso significa? Maior presença nas principais publicações de moda do país, um possível desfile ou eventos de lançamentos aqui no Brasil, e até uma grande loja conceito, que serviria também para reforçar que a marca não é apenas uma grife de moda praia.

Visto no About Fashion

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Comments ( 0 )

Foto-Victoria Beckham-sexy-armani-marca-campanha

Caiu na rede mais uma foto de Victoria Beckham em ensaio para a grife Armani. A ex-Spice Girl mostra o corpão com pouca roupa nas imagens. O maridão, David Beckham, que já acompanhou Victoria nas fotos, não aparece dessa vez.

Visto no EGO

Tags: , , , , , , , ,

Comments ( 0 )
Havaianas e Nike também entram na onda, com estampas e solados luminosos
Intitulada “Flash for Fun”, a nova coleção da Diesel tem etiquetas, costuras e estampas fosforescentes. Durante o dia, enquanto exposta à luz, as peças não indicam os inúmeros detalhes que se revelam e brilham apenas no escuro.
Aplicado em camisetas, calças, tênis e também na linha underwear, o efeito fluorescente revela detalhes como um dragão oriental nos jeans para os homens, ou fones de ouvido nas peças femininas .
Frases escondidas e calçados luminosos
A loja virtual do site Diesel Sweeties utiliza a fosforescência em camisetas que estampam mensagens secretas. Frases como “Se você pode ler isto, está escuro e você deveria me beijar” são mostradas apenas quando as luzes se apagam (fotos 6 e 7).
Este efeito luminoso também foi recentemente utilizado por duas gigantes calçadistas, a Havaianas e a Nike. A 1ª lançou sandálias pretas com estampas de robôs que brilham no escuro (foto 8), e a 2ª utilizou o material fosforescente no solado e no símbolo do sneaker assinado por Kanye West .

Havaianas e Nike também entram na onda, com estampas e solados luminosos

Linha Disel

Linha Disel Flash for Fun

Linha Disel Flash for Fun

Linha Disel Flash for Fun

Intitulada “Flash for Fun”, a nova coleção da Diesel tem etiquetas, costuras e estampas fosforescentes. Durante o dia, enquanto exposta à luz, as peças não indicam os inúmeros detalhes que se revelam e brilham apenas no escuro.

Aplicado em camisetas, calças, tênis e também na linha underwear, o efeito fluorescente revela detalhes como um dragão oriental nos jeans para os homens, ou fones de ouvido nas peças femininas .

Frases escondidas e calçados luminosos

A loja virtual do site Diesel Sweeties utiliza a fosforescência em camisetas que estampam mensagens secretas. Frases como “Se você pode ler isto, está escuro e você deveria me beijar” são mostradas apenas quando as luzes se apagam .

Este efeito luminoso também foi recentemente utilizado por duas gigantes calçadistas, a Havaianas e a Nike. A 1ª lançou sandálias pretas com estampas de robôs que brilham no escuro , e a 2ª utilizou o material fosforescente no solado e no símbolo do sneaker assinado por Kanye West .

fonte: www.usefashion.com.br

Sandálias Havaianas

Sandálias Havaianas

Tênis Nike

Tênis Nike

Tags: , , , , , , ,

Comments ( 8 )

O Grupo Silvio Santos lança sua nova unidade de negócios intitulada “Villa Jequiti”. Depois de investir no mercado de cosméticos, o grupo se volta agora para a área de moda, bem-estar, conforto e beleza. A “Villa Jequiti” trabalhará este ano com 115 itens pelo mesmo canal de venda direta e mais de 70 mil consultoras em todo o país, com um catálogo próprio, a partir de agosto.

Entre os produtos disponíveis no catálogo, estão acessórios femininos como brincos, pulseiras, colares, bolsas, anéis, relógios e linhas especiais de kits presenteáveis para as principais datas comemorativas do ano. Após o lançamento da marca, a expectativa é ampliar a linha de produtos com artigos masculinos e para a casa.

Para este ano também são esperados novos itens como lingeries e um especial de Dia das Crianças com artigos infantis e bijuterias. A marca ainda pretende lançar em 2010 artigos para cama, mesa e banho, itens para bebês, crianças e teens, além de produtos para o bem-estar, cuidados pessoais e bolsas, em um total de mais de 200 itens.

Visto Mundo do Marketing

Tags: , , , , , , , , ,

Comments ( 1 )
Fotos-Look-blazer-vestido-rosa-Desfile-Juliana-Jabour-calca-Claudia-Simoes

Look blazer e vestido rosa/Desfile Juliana Jabour. Looks blazer e calça/Desfile Claudia Simões

Quem acompanhou as semanas fashion percebeu um ligeiro revival dos tempos em que música e moda estiveram em plena sintonia.

Vários ícones dos anos 80, época mais pop de todos os tempos, foram a marca registrada de alguns estilistas. Entre eles blazeres longos com ombreiras (representação máxima dos yuppies), tubinhos, volumes acinturados, calças e shorts com cintura alta, pregas e macacões. As marcas cariocas Cláudia Simões e a Printing abusaram desses clichês. Já Juliana Jabour também investiu nas cores fortes, em tons flúor: amarelo fosforescente, melancia e acqua.

As mais eletrizantes (verde limão, tangerina e pink) usadas por muitas mulheres que adoravam fazer combinações exageradas assim como a rainha do pop Madonna, desembarcaram do verão europeu e aparecem nos calçados e acessórios do próximo verão. A Arezzo, por exemplo, aposta nas cores neon misturadas em uma só peça. “Acho que elas vão sim invadir as ruas, tem tudo a ver com o verão, só não vale usar no ambiente corporativo”, lembra a personal stylist Cintia Castaldi.

Fotos-Colecao-Arezzo-Verao-2010

Coleção ArezzoVerão 2010

A consultora diz que para o dia-a-dia é legal evitar excessos e optar por uma única peça de cor forte, seja na roupa, ou no uso do acessório: óculos, bijus e bolsas. Vale sempre citar a velha regra: cores claras aumentam o volume. “Devemos evitar peças que chamem atenção em lugares que queremos esconder”.

Os tons fluorescentes também estarão nos pés, combinados com pastilhas, e outras cores, como dourados ou brancos. “Entre as curingas aposto no roxo e no pink. Laranja, amarelo-gema, verde e azul também estarão em alta na próxima estação não só na moda, mas também na maquiagem”.

Cintos envernizados de plástico e acrílico, tachinhas nos acessórios, brincos super coloridos de plástico, faixas no cabelo e na cintura, collant, tecidos e couro metalizados, além do volume nos ombros e ainda o jogging (conjunto calça e jaqueta de plush), também são outros itens pincelados entre as coleções de verão.

Fotos-Bolsa-matelasse-pink-neon-com-alca-corrente-Espaco-Fashion-Bolsa-com-tachas-Agatha

Bolsa matelasse pink neon com alça correnteEspaço Fashion e Bolsa com tachasAgatha

Alguns elementos já se fazem presentes neste inverno, adaptados aos novos tempos. O moletom, por exemplo, que saiu da casa para as ruas nos anos 80, está em blusões, casacos e blazeres. Sem contar as famosas leggins, hit do sportwear e marca de Jane Fonda. E ainda as tachas douradas e acrobeadas (redondas, quadradas ou em forma de pirâmide), estilo rock-punk ou look mais fetichista.

Talvez seja uma prova de que o espírito pop ainda está vivo para muita gente, fashionistas, estilistas e pessoas com saudades daquela época considerada exagerada ou mesmo cafona para alguns, melhor dizer, tempos da criatividade sem limites.

Visto no Vila Mulher

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Comments ( 1 )
Georgia May Jagger faz caras e bocas nas fotos
Georgia May Jagger, filha de Mick Jagger e Jerry Hall, está colhendo frutos com o sobrenome famoso. A loira, que é modelo e já estampou ensaios na revista Vogue, é a nova garota-propaganda da marca Hudson Jeans.
Georgia posou super sensual para as fotos. De acordo com o site FabSugar, um dos investidores da marca, David Lipman, diz que o sobrenome famoso foi um fator de peso para a escolha da modelo.
“Tudo gira em torno do fato de ter Mick Jagger como pai. Mas, acima de qualquer coisa, foi o espírito dela que me cativou”. Tsc, tsc, sei.

Georgia May Jagger faz caras e bocas nas fotos

Georgia May Jagger para Hudson Jeans

Georgia May Jagger para Hudson Jeans

Georgia May Jagger, filha de Mick Jagger e Jerry Hall, está colhendo frutos com o sobrenome famoso. A loira, que é modelo e já estampou ensaios na revista Vogue, é a nova garota-propaganda da marca Hudson Jeans.

Georgia May Jagger para Hudson Jeans

Georgia May Jagger para Hudson Jeans

Georgia posou super sensual para as fotos. De acordo com o site FabSugar, um dos investidores da marca, David Lipman, diz que o sobrenome famoso foi um fator de peso para a escolha da modelo.

“Tudo gira em torno do fato de ter Mick Jagger como pai. Mas, acima de qualquer coisa, foi o espírito dela que me cativou”. Tsc, tsc, sei.

Fonte: www.ego.com.br

Tags: , , , , , , , , , ,

Comments ( 0 )

Tryon, Mormaii, Colcci, entre outras, apostam em versatilidade e funcionalidade

Mochila Mormaii

Mochila Mormaii

Mochlila Red Noise

Mochlila Red Noise

Para carregar pessoalidades como laptop, itens de estudo ou academia, o segmento de mochilas está cada vez mais vasto no Brasil. A seguir, acompanhe alguns lançamentos para a próxima estação.

“Rush”, da Tryon, é um dos lançamentos para o verão 2010. Além de um compartimento interno, o modelo tem bolsos laterais e um superior com saídas para fone de ouvido, facilitando a organização. Compacta, a mochila é apropriada para as diferentes atividades do dia-a-dia, apresentando combinações discretas, como prata com grafite ou cáqui com musgo.

Mochila Coolci

Mochila Colcci

Mochila Reserva

Mochila Reserva

A Red Noise está apostando tanto nas modelagens tradicionais quanto nas inovadoras, sempre mantendo sua proposta esportiva. Utilidades como compartimento para notebook, bolso especial para pertences molhados ou skate estão entre as funcionalidades oferecidas.

Também esportivas, mas menos urbanas, todas as mochilas Mormaii foram inspiradas no surf. Alguns modelos trazem bolso para notebook e há inclusive uma mochila especial para camping, na cor laranja. Em cores sóbrias, a maioria dos demais produtos pode ser usada tanto no clube como no escritório.

Voltada aos diferentes públicos jovens, a Risca focou-se tanto em quem gosta de uma aventura, quanto em quem prefere a tecnologia. A linha “Notebook” foi desenvolvida para levar aparatos tecnológicos, já que tem elástico amortecedor para as alças e muitos compartimentos. “Freestyle” e “Sportive” focam os esportistas, com estampas que parecem fotos de surf e skate .

Ao contrário das mochilas acima, produzidas pela Holly, a Colcci trouxe exemplares com bolsos destacáveis, presos por mosquetão. Nos mesmos tons terrosos de sua coleção, a mochila masculina utiliza cordas, fivelas e botões nos fechamentos.

Já a Reserva apresentou peças maiores, com diversos bolsos e uma versão com alça atravessada. Cores claras, às vezes com aspecto sujo, são misturadas com marrom ou outros tons escuros, tudo combinando com os tecidos leves e o xadrez discreto dos looks da marca para a estação .

Fonte: www.usefashion.com.br

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Comments ( 0 )

Foto-Coco-Chanel-moda-FilmeDesde que foi anunciado, os interessados estão formigando de ansiedade para ver “Coco avant Chanel“, filme biografia que mostra a fase de aprendizado da estilista, estrelado pela também adorada Audrey “Amelie Poulain” Tatou. Este frenesi e as mudanças de data de estreia (a última que se tem notícia é 30 de outubro no Brasil) fez pipocar notícias e declarações de amor para a grande estrela da moda, aquela que, se não é unanimidade, é a que mais se aproxima disso. E nem estou falando da marca Chanel, aquela muito bem mantida pelo estilista Karl Lagerfield desde 1983 e que é um exemplo de longevidade em uma grife.

Não, estou falando da estilista Chanel, que viveu em uma época em que a marca ainda não possuía o poder de hoje em dia, mas sim a figura do criador, numa relação que aproximava o costureiro dos artistas. No entanto, mesmo sendo ídolo máximo do campo da moda, Chanel é uma figura interessante para toda a história da cultura do século XX. Isso porque ela não apenas pensava em costurar para a elite socioeconômica da França, não, Chanel no fundo costurava para si mesma. Audaciosa, faladeira, e boa de marketing pessoal, além de um histórico de heroína, é uma figura fácil de ser romantizada – me surpreende os poucos filmes e livros.

De família pobre, quando tinha seis anos perdeu a mãe e ficou com mais quatro irmãos aos cuidados do pai, que por trabalhar muito, manteve as meninas em um orfanato. Logo, Gabrielle Bonheur Chanel começou a trabalhar cantando em cabarés, época em que recebeu o apelido Coco. Como a grande maioria das mulheres pobres, costurava (lembrando que o comércio de roupa pronta, como magazines, ainda não era popular). Começou fazendo chapéus e só depois, abriu uma maison.

Mas o sucesso entre as mulheres abastadas não se deu de uma hora para outra – Coco foi inserida na alta roda parisiense por um militar milionário, além de ter tido outros amantes idem – suas primeiras lojas foram financiadas por um jogador de pólo com quem teve um caso. É inegável que houvesse talento na jovem estilista, mas não só para construir e criar peças novas, mas um talento para se relacionar com as pessoas certas, o que em qualquer meio social é meio caminho andado para influenciar as pessoas.

De certo, as criações de Chanel causavam estranhamento nas damas de porte aristocrático. Para entender porque a insistência no “rótulo de gênio”, antes de descrever as imagens criadas por ela, tente imaginar uma típica mulher milionária da época: apertadas em corsets, com metros e metros de sedas e rendas, cabelos muito longos e ornamentados e muitas joias verdadeiras, impedidas de se movimentarem com naturalidade. Menos alienada a acontecimentos sociais, consciente dos avanços na emancipação feminina e da velocidade que a industrialização propunha para o consumo, amiga de artistas influentes e legitimados entre os ricos, como Picasso e Jean Cocteau, tomou para si o espírito de simplicidade e liberdade da época e aplicou em suas peças.

Assim, Chanel pode ser considerada a criadora do traje casual – propôs malhas e brim (tecidos considerados rústicos), calças de montaria para as mulheres (cavalgar de saia era uma ideia mesmo estúpida), combinações de saias mais curtas, inspiradas nos trajes masculinos (e eternizados como tailleurs), bolsas com correntes (para a mulher ter a mão livre, assim pode segurar o cigarro, hábito que crescia entre as garotas), chapéus práticos, sem tantas plumas e pedrarias (os grandes chapéus eram usados para evitar que o sol queimasse o rosto das mulheres europeias, já que a pele branca era sinônimo de status, mas Chanel não se importava e aparecia coradinha, de chapéu pequeno), bijuterias (os metros de pérolas falsas estavam ao alcance de todos) e, acima de tudo, o “pretinho básico”, adequado, bonito e prático.

Isso tudo não é apenas uma reunião de exemplos de objetos de desejo, não. Nessas criações, e principalmente na aceitação que tiveram – não basta criar, as pessoas têm que usar – é possível perceber um momento histórico, em que a burguesia aumentava seu poder de consumo cada vez mais, a mulher era necessária no mercado de trabalho e autorizada a frequentar espaços sociais e não só a vida doméstica, o esporte e as atividades de lazer passam a ser rotineiros para essa nova classe abastada e o costureiro passa a ser tão importante quanto quem veste sua criação. Chanel soube usar tudo isso e divulgou o conceito de “estilo é o que permanece”, o que se desenvolve para a nossa atual ideia de marca. A criação fora de contexto é mero produto, o que não acontece aqui.

E ainda provou que não era da boca pra fora: nos anos 50, quando andava apagada por causa de problemas durante a Segunda Guerra Mundial – acusada de colaborar com alemães, de manter um relacionamento com um oficial nazista, acabou presa, uma história ainda mal contada – o estilista da vez era Christian Dior, com uma proposta oposta a de Coco, a de restaurar os ares de nobreza da mulher depois de difíceis tempos de racionamento e trabalho. Mas, obstinada e cheia de certezas que era, aproveitou o seu estilo e recriou sobre suas formas básicas, atingindo grande popularidade novamente e conseguindo apoio de uma garota propaganda de dar inveja, aquela tal de Marilyn que tinha o hábito de dormir só de perfume.

Você pode se interessar mais pela vida cheia de amores e desaforos de Coco, ou pela intuição e ousadia da estilista Chanel, tanto faz. O filme pode trazer muitas verdades ou apenas fantasiar sobre alguém que muito fantasiou sobre si mesma. Tanto faz também. É sempre bom ter uma referência com tantas importâncias quanto essa. E tomara que não adiem o filme.

Por Priscila Rezende

Visto no A Capa

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Comments ( 4 )
Louis Vuitton cria estante, museu expõe trajes e Google celebra com mapa do satélite
21/07/2009
Para celebrar o 40º aniversário do programa espacial Apollo 11, que levou o homem à Lua pela 1ª vez, diversas empresas estão promovendo ações especiais. Depois de lançar um anúncio com os astronautas Sally Ride, Jim Lovell e Buzz Aldrin, a Louis Vuitton fez uma estante futurística com inspiração robótica e também divulgou o vídeo da campanha (fotos 1 a 3).
Se cada ocasião merece um traje apropriado, para desembarcar na Lua os humanos capricharam no visual. E para registrar e celebrar a moda dos astronautas, o National Air and Space Museum, situado em Washington, nos Estados Unidos, está promovendo uma exposição com as roupas utilizadas pelos viajantes das missões Apollo (fotos 4 a 8).
Esta não é a primeira vez que o único satélite natural da Terra inspira a moda, como já vimos na campanha Moonbathing, da Levi´s (fotos 9 e 10). Mas é a primeira vez que podemos visitá-lo pela internet. Não satisfeito em mapear todo o território terráqueo, o Google lançou a versão lunar de sua aplicação de mapeamento, o Google Moon.
A seguir, veja o vídeo da Louis Vuitton, que faz parte de uma campanha que interpreta a vida como uma série de jornadas, utilizando avançados braços industriais para filmar os três heróis norte-americanos:

Louis Vuitton cria estante, museu expõe trajes e Google celebra com mapa do satélite.

Louis Vuitton homenageia chegada do homem a lua

Louis Vuitton homenageia chegada do homem a lua

Para celebrar o 40º aniversário do programa espacial Apollo 11, que levou o homem à Lua pela 1ª vez, diversas empresas estão promovendo ações especiais. Depois de lançar um anúncio com os astronautas Sally Ride, Jim Lovell e Buzz Aldrin, a Louis Vuitton fez uma estante futurística com inspiração robótica e também divulgou o vídeo da campanha.

Louis Vuitton homenageia chegada do homem a lua

Louis Vuitton homenageia chegada do homem a lua

Se cada ocasião merece um traje apropriado, para desembarcar na Lua os humanos capricharam no visual. E para registrar e celebrar a moda dos astronautas, o National Air and Space Museum, situado em Washington, nos Estados Unidos, está promovendo uma exposição com as roupas utilizadas pelos viajantes das missões Apollo.

Louis Vuitton homenageia chegada do homem a lua

Louis Vuitton homenageia chegada do homem a lua

Esta não é a primeira vez que o único satélite natural da Terra inspira a moda, como já vimos na campanha Moonbathing, da Levi´s . Mas é a primeira vez que podemos visitá-lo pela internet. Não satisfeito em mapear todo o território terráqueo, o Google lançou a versão lunar de sua aplicação de mapeamento, o Google Moon.

Louis Vuitton homenageia chegada do homem a lua

Louis Vuitton homenageia chegada do homem a lua

A seguir, veja o vídeo da Louis Vuitton, que faz parte de uma campanha que interpreta a vida como uma série de jornadas, utilizando avançados braços industriais para filmar os três heróis norte-americanos:

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,

Comments ( 0 )
Página 74 de 75« Primeira...102030...7172737475