A empresária Eliana Tranchesi.

Morreu na madrugada desta sexta-feira, 24 de fevereiro, aos 56 anos, Eliana Tranchesi, ex-dona da Daslu. A empresária lutava contra um câncer de pulmão desde 2006, quando, por conta do tratamento, afastou-se do comando da boutique de luxo. O corpo será enterrado ainda nesta sexta, no Cemitério do Morumby, por volta das 15h.

No dia 13 de janeiro, a empresária chegou a fazer um post no blog de sua filha, Luciana Tranchesi, dando informações sobre seu estado de saúde. ”Fui diagnosticada com uma pneumonia no pulmão direito. E apresentei reações muito fortes de efeitos colaterais de um antibiótico que tomei”, dizia o texto assinado pela empresária.

Eliana Tranchesi deixa três filhos, Bernardino, 26 anos, Luciana, 23, e Marcela, 20, sócios da 284, marca que nasceu dentro da Daslu.

O império Daslu

A Daslu foi fundada em 1958 pelas sócias Lucia Piva de Albuquerque, mãe de Eliana, e Lourdes Aranha — ambas com apelido de Lu, daí o nome da loja. De maneira informal, elas atendiam as amigas em uma casa. O primeiro espaço oficial da empresa foi um imóvel na Vila Nova Conceição, que recebia os clientes de forma discreta e intimista. Com a morte de Lucia, no início dos anos 1980, Eliana Tranchesi assumiu o comando da loja, tendo inclusive a ideia de lançar uma linha própria com a etiqueta Daslu. Com a liberação das importações, no início dos anos 1990, a empresa começou a trazer para o Brasil grifes internacionais renomadas, como Louis Vuitton, Prada, Gucci e Dolce & Gabbana. Isso em uma época em que era praticamente impossível encontrar peças dessas grifes por aqui.

Com o crescimento da marca e do volume de clientes, em 2005 foi inaugurada a Villa Daslu, que se tornou símbolo do luxo em São Paulo. Lá, marcas internacionais ganharam seus próprios espaços e estilistas nacionais expandiram suas araras.

No mesmo ano, uma operação da Polícia Federal acusou Eliana Tranchesi e Antonio Carlos Piva de Albuquerque, irmão e sócio da empresária, de crimes de sonegação de impostos, pelos quais foram condenados a 94 anos e meio de prisão. Eliana conseguiu liberdade, por meio de um habeas corpus, por conta dos tratamentos contra o câncer que já enfrentava na época.

Em 2011, a Daslu foi vendida ao grupo Laep Investments, de Marcus Elias, que assumiu o controle da empresa após uma proposta de cobrir as dívidas da boutique, que alcançavam 44 milhões de reais. No mesmo ano, a loja inaugurou uma filial no Rio de Janeiro e, em 2012, foi lançado um novo espaço no Shopping Cidade Jardim, em São Paulo. Tudo parte do novo plano de expansão dos atuais administradores da marca.

 

Fonte: MODASPOT

Tags: , , , ,

Leave a Reply