O mercado de jeans pode dar a impressão de que já está saturado, por conta da forte presença do produto nas prateleiras, há muitos anos. Mas, de acordo com Jussara Maturo, diretora da GBLjeans, canal especializado em assuntos do setor, ainda há espaço para os pequenos e médios empreendedores que quiserem apostar. “O mercado é bem pulverizado e existem muitas empresas, mas a maioria está fazendo o convencional, calças jeans“, afirma.

De acordo com dados da GBLjeans, em 2011 o Brasil produziu 530 milhões de metros de jeans tipo denim (o jeans azul usado nas calças tradicionais). O País consome a maior parte do tecido que produz. Segundo Jussara, somente 4% da fabricação nacional são exportados.

PMEs do jeans
Para Jussara, as novas pequenas e médias empresas (PMEs) têm um espaço no setor de confecção do jeans. Mas, para ter sucesso com esse tipo de negócio, a executiva acredita que seja necessário sair do básico e apostar em novas criações com o tecido, como camisas, coletes, jaquetas e vestidos. “O melhor para esse tipo de empreendedor é investir no que eu chamo de “parte de cima”. Trabalhar com modelagens diferentes de camisas, coletes, vestidos e jaquetas que atraiam os olhares do mercado consumidor.”

Quanto às lavanderias industriais, Jussara acredita que este seja um segmento arriscado para os pequenos e médios empreendedores. “Já existem muitas lavanderias industriais. Além disso, as máquinas são caras e o empreendedor tem que aplicar em tecnologias que deixem seu trabalho menos agressivo ao meio ambiente. Esses equipamentos têm custos muito altos para os padrões brasileiros. Por isso, é um negócio arriscado”, esclarece a executiva.

Por conta dos investimentos em torno da Copa do Mundo, Jussara vê boas oportunidades para o mercado de varejo. “Muitos shoppings estão em processo de construção. Esses novos centros comerciais podem ser muito atraentes para empreendedores que decidirem investir em multimarcas para vendas de jeans, por exemplo. Acho que pode ser uma opção a ser estudada pelo futuro empreendedor que pretende entrar no setor”, prevê Jussara.

Os desafios Para a executiva da GBLjeans, um dos grandes desafios de um pequeno ou médio empreendedor que entra no setor é encontrar estilistas que saibam trabalhar com jeans para peças diferenciadas. Ela sita também a necessidade de capital de giro para a produção como um ponto a avaliar com cuidado. “O jeans tem um processo produtivo mais longo. Não é só costurar e pronto. Ele vai para a lavanderia, recebe a lavagem etc. Por isso, o empreendedor deve estar preparado para esperar o retorno”, diz Jussara.

Tags: , , , , , , , ,

Leave a Reply