Sinônimo absoluto de glamour e elegância, o animal print deixou de ser uma tendência temporal e, hoje, é considerado um item clássico do guarda-roupa feminino – assim como o “pretinho básico”.  Sucesso entre as divas do cinema da década de 1950, como Marilyn Monroe e Brigitte Bardot, e nos anos 1980, as padronagens inspiradas na pele dos animais surgem na estética tradicional e em um mix de cores inusitado. O segredo é sempre inovar! Nas passarelas, ele vem mostrando sua versatilidade e todo o seu lado moderno, graças às interpretações cheias de frescor e personalidade feitas pelos diretores criativos.

Definitivamente, a mais queridinha da família é a oncinha. Ela foi adotada como indispensável por marcas como Dolce&Gabbana que, desde o final da década de 80, usa a padronagem em suas peças superfemininas e marcantes. Já as grifes que têm a estética mais simples e minimalistas em seus DNAs levaram a estampa felina para itens que protagonizam com elementos neutros e com ar boyish, como Dries van Noten e Victoria Beckham. A italiana Bottega Veneta explorou tons mais lavados com contraste em preto para visuais poderosos.

A zebra também surge em propostas com linhas grandiosas e em diferentes texturas. No Fall 2013 da Tom Ford, um longo coberto por paetês em preto e branco com brilho ousado. A Roberto Cavalli trouxe uma versão leve e fluída para seu vestido com fenda e pequenos plissados na saia, com recortes retorcidos na cintura, deixando pele em evidência. Além das linhas, a Calvin Klein investiu no padrão que remete pelos.

E as manchas felinas parecem ter dominado o Spring 2019! A Baja East apresentou um caminho cool que leva o animal print para looks urbanos, em uma brincadeira de alfaiataria + t-shirt + tênis. Na Tom Ford, um toque mais provocante e elegante na medida. Para a Calvin Klein, o diretor criativo Raf Simons optou por um modelito com franzidos localizados, que dão um efeito interessante à estampa.

Entre formas tradicionais e novas, o que vale é sempre escolher o tipo que combina com você!

 

FONTE: FASHION HITS

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Comments ( 0 )
Ainda falando sobre modelos magras demais, a edição norte-americana de novembro da revista Glamour colocou sete modelos nada convencionais em matéria sobre modelos “plus-size” (acima do peso) e o fato de se sentirem bem com o próprio corpo. Tudo começou com a edição de setembro, com uma foto da modelo Lizzie Miller sentada au naturel super sexy, confiante e despreocupada com as gordurinhas de sua barriga. A foto fez um sucesso enorme e a redação recebeu mais mil comentários, entre eles o de mulheres alegando que se sentiam deformadas devido a suas (des)proporções ou contando que sofrem de distúrbios alimentares desde muito cedo e, graças à foto, sentem-se melhores. O fato é que a imagem causou bastante comoção e levou a revista a escrever uma matéria toda dedicada a estas mulheres que estão na contra mão dos rígidos padrões de magreza atuais.
Lizzie Miller na Foto que Causou Polêmica
Só não pense que a foto de Lizzie Miller agradou a todas as leitoras – houve quem reclamou do fato, alegando que “colocar uma modelo que obviamente está acima do peso e leva uma vida pouco saudável na revista para que algumas pessoas se sintam melhores apenas serviria para propagar este estilo de vida nocivo”. Outra leitora protestou dizendo que “os Estados Unidos já tem problemas de obesidade o suficiente para que a revista o promovesse ainda mais”. É… Não se pode agradar a todos mesmo.

glamour-revista-eua

Ainda falando sobre modelos magras demais, a edição norte-americana de novembro da revista Glamour colocou sete modelos nada convencionais em matéria sobre modelos “plus-size” (acima do peso) e o fato de se sentirem bem com o próprio corpo. Tudo começou com a edição de setembro, com uma foto da modelo Lizzie Miller sentada au naturel super sexy, confiante e despreocupada com as gordurinhas de sua barriga. A foto fez um sucesso enorme e a redação recebeu mais mil comentários, entre eles o de mulheres alegando que se sentiam deformadas devido a suas (des)proporções ou contando que sofrem de distúrbios alimentares desde muito cedo e, graças à foto, sentem-se melhores. O fato é que a imagem causou bastante comoção e levou a revista a escrever uma matéria toda dedicada a estas mulheres que estão na contra mão dos rígidos padrões de magreza atuais.

lizzie-miller-foto-polemica

Lizzie Miller na Foto que Causou Polêmica

Só não pense que a foto de Lizzie Miller agradou a todas as leitoras – houve quem reclamou do fato, alegando que “colocar uma modelo que obviamente está acima do peso e leva uma vida pouco saudável na revista para que algumas pessoas se sintam melhores apenas serviria para propagar este estilo de vida nocivo”. Outra leitora protestou dizendo que “os Estados Unidos já tem problemas de obesidade o suficiente para que a revista o promovesse ainda mais”. É… Não se pode agradar a todos mesmo.

fonte: www.tanavitrinetanacea.com.br

Tags: , , , , , , , , , , , ,

Comments ( 0 )