Looks esportivos e funcionais, que remetem a um camping em clima glamoroso, invadem a moda – e são perfeitos para os dias de verão na serra ou na cidade

 

Em julho passado, Helena Barbero, buyer das grifes internacionais presentes na multimarcas NK Store, embarcou em uma road trippela Califórnia ao lado do noivo. O ponto alto da viagem foram as três noites em que o casal acampou em meio a um parque em Big Sur – experiência hoje conhecida como glamping, um camping em clima mais glamoroso. “Eram cabanas rústicas, mas superconfortáveis, equipadas com cama, lareira elétrica, mesa para piquenique. E, durante o dia, frequentávamos a piscina, o spa e os restaurantes do hotel do qual elas faziam parte, o Ventana”, conta.

Fundadora da NK Store, Natalie Klein Duek havia passado pela experiência no mês anterior, ao se hospedar com o marido, Tufi Duek, e os filhos no The Other Side, um glamping em North Eleuthera, nas Bahamas. “Você passeia de barco pela ilha durante o dia e, na volta, se depara com sua comida e livros favoritos. Apesar de serem charmosas e bem decoradas, as tendas não possuem blecaute, internet ou televisão. Você tem aquela sensação única de acampar em uma praia deserta. Me desconectei de verdade e meus filhos acharam o melhor ‘hotel’ do mundo!”, conta a empresária.

Na atual busca por um estilo de vida mais slow, que preza a conexão com a natureza para amenizar a velocidade da era digital, o glamping (união das palavras camping e glamour) surge como a viagem perfeita – tendas, yurtis e casas na árvore vêm equipados com quartos e banheiros completos. É possível acampar assim em plena Antártida (fundada pelo explorador Patrick Woodhead, a companhia White Desert oferece até passeios a bordo de jatos Gulfstream para explorar o Polo Sul durante a estadia), em uma savana africana ou no deserto de Marrocos. Na Tailândia, um hotel da rede Four Seasons instalado no Triângulo Dourado (região histórica que faz fronteira com Myanmar e Laos) reúne tendas (com direito a banheira de hidromassagem no deque) em meio a florestas de bambus.

E esse lifestyle vem se refletindo também na moda – alçando a protagonistas da vez peças de mood esportivo e funcional, no melhor estilo explorador. A tendência apareceu com força total no desfile do inverno 2018/19 da Prada: após ter resgatado as bolsas de náilon da grife, hit dos anos 90, Miuccia Prada levou à passarela looks completamente feitos do tecido que lembra barracas de camping. A apresentação marcou também o relançamento da Linea Rossa, a linha esportiva da Prada, que havia sido desativada em meados dos anos 2000. No retorno da label, a grife italiana abusou das evoluções tecnológicas pensadas para performances esportivas, mas em peças feitas para serem usadas em situações urbanas: tecidos regulam a temperatura do corpo por meio de nanotecnologia, e o náilon aparece envolvido em uma membrana finíssima que o torna antivento, impermeável e respirável.

Além do tecido tecnológico, jaquetas e coletes utilitários, puffer jackets e casacos de plástico que remetem a capas de chuva invadiram as passarelas de marcas como Balenciaga e Marni – em looks em sintonia com o athluxury. Até o tênis de trekking ganhou versão fashion: no inverno 2018/19 da Gucci, ele aparece decorado com tiras removíveis de cristais, como no modelo da foto.

Apesar do clima de fim de semana, a tendência faz bonito também no guarda-roupa urbano. Vale trocar o blazer por uma jaqueta de náilon, atualizar o ugly sneaker pela versão com cara de trilha e reviver a calça cargo.

Fonte : VOGUE

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Comments ( 0 )

De olho nos desfiles internacionais da temporada de verão 2013, uma peça ganhou destaque em diferentes passarelas: os casacos inspirados nos tradicionais quimonos japoneses. Costanza Pascolato, colunista da Vogue Brasil, destacou as interpretações inéditas do traje que ganharam as coleções da próxima estação do hemisfério norte nas páginas de nossa edição de janeiro, um dos caminhos das silhuetas mais lineares que marcaram as propostas das semanas de moda.
 

As ofertas são diversas e vão do orientalismo fresh de Miuccia Prada em sua grife principal à viagem de Peter Dundas ao Vietnã no comando da Emilio Pucci; o italiano Fausto Puglisi, famoso por seus vestidos repletos de aplicações metalizadas, completou cada look de seu verão 2013 com versões coloridas e estampadas de jaquetas amplas, enquanto a Hermès, a Etro e Haider Ackermann levaram para a passarela mais opções renovadas dos casacos de ombros arredondados que prometem virar aposta forte assim que as novidades ganharem as lojas. Na sequência, você vê ótimos exemplos para usar, desde já, como inspiração, confira nas imagens.

Fonte: Vogue

Tags: , , , , , , , ,

Comments ( 0 )

Depois de incontáveis desfiles, a temporada internacional de verão 2013 terminou. Nova York, Londres, Milão e Paris já decretaram quais serão as tendências da temporada mais quente do ano. Aqui, reunimos as melhores propostas que surgiram nas passarelas do Hemisfério Norte. Confira:

Shape da vez

A assimetria foi destaque nos desfiles de marcas como Mugler, Lanvin, BCBG Max Azria e Emporio Armani. Recortes estratégicos ganharam pegada esportiva, como na passarela de Antonio Berardi, ou toque hipersensual – exemplo perfeito são as criações de Donatella Versace.

A década da vez

A temporada de verão 2013 revive os anos 1960 em tubinhos, saias de silhueta A, cores vivas e muitas estampas. Em Nova York, calças cigarretes, casaquinhos e decotes canoa brilharam na passarela de Oscar de La Renta. Já em Paris, diversas marcas revisitaram o mood da época, como Givenchy, Paco Rabanne e Chloé.

As cores da vez

Não teve pra ninguém: a clássica e tradicional dupla preto e branco reinou absoluta nos desfiles internacionais. O duo apareceu em contraponto a cores vivas e tons metálicos em quase todas as coleções da temporada. Miuccia Prada foi uma das estilistas a apostar na combinação, que ganhou inspiração oriental na passarela de Milão.

As estampas da vez

Esqueça os florais característicos da estação: as padronagens geométricas vão invadir o verão no Hemisfério Norte. Marc Jacobs, à frente de sua marca homônima e da Louis Vuitton, explorou a tendência como poucos, e listras e xadrez foram protagonistas de suas novas coleções. A tendência também remete à década de 1960, época em que as estampas foram hit no mundo da moda.

O acessório da vez

As gladiadoras estão de volta e de visual repaginado. Escarpins e sandálias da estação ganharam fivelas e aplicações em modelos supelongos, que seguem até a altura dos joelhos. O acessório ganhou visual ultrafetichista com minivestidos, como na passarela da Versace, ou toque moderno e futurista, como visto no desfile de Alexander Wang.

Fonte: MODA SPOT

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Comments ( 0 )